Como ser encontrado por um “Olheiro” da rede globo

Muitas pessoas tem o sonho de se realizar como ator e atriz da rede globo, mas para que isso aconteça é necessário que um olheiro da rede globo possa identificar no ator o talento necessário para atuar em uma de suas produções dramatúrgicas, como novelas, seriados, novela malhação que está no ar a mais de 10 anos, bem como filmes, comerciais, programas de tv e muitas outras produções, mas a pergunta que eu quero responder a você que deseja trabalhar na globo é a seguinte:

Como ser encontrado por um “olheiro” da Rede Globo

Gama é coordenador de pesquisa de elenco da Rede Globo. É responsável por alimentar os cadastros de elenco da emissora para toda sua programação. Só este ano, esteve nos festivais de Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife e Salvador, além de Rio Preto. Seu foco está mais direcionado a atores da própria cidade. “Estou recebendo informações do pessoal de Rio Preto e marcando entrevistas. Faremos algumas gravações, que depois serão mandadas para o Rio e ficarão lá cadastradas e disponíveis para os produtos da casa”, explica. Gama também está de olho nas companhias de outros Estados, mas com estes é feito apenas um contato. Ele não sabe precisar quantos atores já cadastrou no banco da emissora nos dois anos que vem desenvolvendo o papel de olheiro, só que são muitos.

O segredo para ser “encontrado” por olheiros da Rede Globo é?

Procure festivais de atuação, encenação e dramaturgia e teatro, é sempre através destes festivais que você pode ser encontrado por um olheiro bem esperto que se gostar da sua performance pode cadastrar você no banco de dados da Rede Globo para uma futura avaliação e posterior contratação….

Um exemplo de pessoas que deram sorte no Rio de Janeiro e foram achadas pelos olheiros da globo foi da jovem Suira Freire

Fonte: Rede Globo – Caldeirão do Hulck

Suira Freire é uma jovem cabo-verdiana que, aos 27 anos, viu um dos seus sonhos concretizados: ser “coleguinha” do Caldeirão do Huck, programa do canal brasileiro Rede Globo. Para além disso, é modelo comercial e faz especialização em Marketing.
Suira Freire chegou no Brasil em 2005 para fazer Turismo pela Faculdade do Nordeste, FANOR. Foi em Fortaleza, num passeio num shopping, que um “olheiro” deu por ela e a convidou a trabalhar para uma agência de modelos. “Fui pesquisar sobre a agência para saber se era séria ou não. Depois que soube que tinha credibilidade no mercado, fiz os testes, passei e comecei a trabalhar”, conta.
Mas a novidade que esta estudante cabo-verdiana traz do Brasil é a sua participação como uma das “coleguinhas” do Caldeirão do Huck, programa de auditório da Rede Globo muito popular no Brasil. De todas as concorrentes, foram escolhidas sete para a entrevista final com o próprio apresentador Luciano Huck, e Suira ficou entre uma das três escolhidas, tornando-se na primeira cabo-verdiana a actuar no programa.
“Foi emocionante, pois, em Cabo Verde sempre assistia esse programa e ser hoje uma das ‘coleguinhas’ do Huck tem sido maravilhoso. Esta foi a oportunidade de estar no meio da produção da Rede Globo, sendo a única cabo-verdiana, falar sobre o meu país”.
 
Suira, a segunda contando da direita para esquerda, na gravação do programa
Suira conta que até arriscou um convite a Luciano para gravar o Caldeirão do Huck em Cabo Verde, “ à semelhança do que já foi feito em Angola”.

O sonho de ser modelo

Suira conta que desde pequena, à semelhança de muitas crianças, sonhou em ser modelo. Mas esse sonho foi concretizado apenas quando seguiu para Brasil, estudar Turismo. A sorte parece ter-lhe sorrido, e desde então trabalha como modelo comercial e em marketing e eventos. Para Suira, hoje em dia, não se liga à beleza sem conteúdo. “É preciso fazer a junção dos dois para progredir na carreira”. Por isso, assim que terminou a licenciatura, tratou logo de fazer a pós-graduação para complementar os estudos e juntar o útil ao agradável.
Na busca do corpo perfeito, e da exigência que se tem com as modelos, desde muito cedo Suira buscava imperfeições para corrigir, na esperança de um dia, quando começar a modelar ter “tudo no lugar”. Esta estudante/modelo confessou ao A NAÇÃO que a parte que menos gostava no seu corpo era o nariz, portanto, colocava uma mola de secar roupa, na tentativa de diminui-lo. “Isso era coisa de criança. Achava que tinha um narigão. Mas surpreendentemente, uma vez num evento, uma senhora me abordou e disse que menina linda com um nariz muito afilado, e perguntou se eu tinha feito plástica no nariz”.
Suira, a 1ª da esquerda, com as outras duas concorrentes escolhidas por Huck
Suira confessa que o trabalho que faz é gratificante. Ser negra, e ainda por cima ir de um país tão pequeno e não muito conhecido, Cabo Verde, e fazer um pouco de sucesso tem sido para ela algo “espectacular”. “Não estou rica, mas muito feliz com o trabalho que faço, apesar de, às vezes, receber propostas indecentes. Mas saber que estou a levar o nome do meu país para fora já é por si só um ganho”.
Bom pessoal, fique de olho nos festivais de dramaturgia e teatro que estão surgindo tanto no Rio de Janeiro quanto em outros estados, se você quer ser encontrado por um “olheiro rede globo” e assim conseguir o tão sonhado papel naquela novela ou seriado da emissora o segredo é estar em testes de elenco, seleções de atores, festivais de dramaturgia e teatro, e procurar agências confiáveis que darão todo o suporte necessário para você ingressar nesta carreira tão promissora.

Comentários


Deixar um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *